Desiludida...

em
é como me sinto. Aliás, me tenho vindo a sentir...As pessoas nunca são o que aparentam ser. Quando precisam de nós, estão sempre na linha da frente, têm sempre tempo e vontade, mas depois a vida encarreira-se-lhes e pronto, kaput...rapidamente se esquecem do ombro amigo e conselheiro que as ajudou a atravessarem os maus momentos. Mas é bem feita, Blossom Maria, para aprenderes de uma vez por todas a não dares tanto de ti…porque na altura de receberes, levas com um pontapé no cu que é um mimo. E isto não é a primeira vez que me acontece, nem será com certeza a última. Porque eu sou amiga dos meus amigos, e estou sempre confiante que eles o serão quando eu precisar. Mas depois levo sempre baldes de água fria, com a insignificância a que sou votada. Já há algum tempo que era para escrever sobre isto, deixando sempre para amanhã, mas hoje aqui vai.

Era uma vez uma gaja que tem a mania de dar a camisola pelo outro, mesmo que ele mostre evidentes indícios de que não vale a pena. Todavia, ela lá vai fechando os olhos, tentando sempre arranjar explicações para as atitudes menos correctas da “pessoa amiga”. Era uma vez a “pessoa amiga” que passou por uma série de dificuldades profissionais, estando desempregada um pouco de tempo, em baixo e triste. A Blossom Maria, que continua a fazer aos outros o que quer que os outros lhe façam a ela porque é ingénua, se não mesmo burra, ajudou a “pessoa amiga” no que estava ao alcance dela. Auxiliava-a na busca activa de emprego, enviava-lhe links, tudo o que encontrasse. Até que a “pessoa amiga” finalmente conseguiu arranjar um emprego. A Blossom Maria ficou extasiada de contente. (sim, eu apanho as dores e alegrias dos meus supostos amigos…o que de bom ou mau lhes acontece é quase como se me estivesse a acontecer comigo). Entretanto, e estando encaminhada profissionalmente (pelo menos por aquele momento), a vida afectiva andava um caos. O ombro da Blossom Maria, o ouvido, o Messenger, tudo, servia para ouvir os dramas da vida, o quanto era incompreendida e que ninguém gosta de mim e blábláblá… Travei uma batalha até conseguir fazer com que a “pessoa amiga” finalmente desse o passo em direcção ao actual companheiro, porque eu sabia que eles gostavam um do outro, e começava já a ficar cansada de dar sempre os mesmo conselhos. Conselhos esses que resultaram na perfeição, porque os dois continuam juntos e cada vez mais próximos, o que muito me alegra (já que tive parte activa e importante em todo o desenrolar da historia).
Com o decorrer do tempo, a Blossom era a amiga e confidente. Até que houve um contratempo profissional, a “pessoa amiga” voltou a ficar sem emprego, e a Blossom Maria voltou a estar outra vez devota no auxilio a encontrar emprego, e a dar sempre uma palavra de incentivo no período menos mau que atravessava, sendo que agora já não se encontrava sozinha. No entanto, nunca a deixei na mão. Estive sempre disponível para ajudar no que fosse possível, não me importando de sacrificar tempo a favor dessa pessoal. Felizmente, ela agora encontra-se bem profissionalmente.
Eu não, como toda a gente sabe. E sinto necessidade de ouvir palavras de incentivo, de apoio, como as que lhe dava em períodos menos fáceis da vida dela. Mas…o que é que eu recebo em troca? Não direi desprezo, porque acho uma palavra forte demais, mas uma completa indiferença…que magoa mais que muito. E desisto….desisto de procurar manter um contacto que acho forçado, porque não há resposta aos mails, e quando há são compostas por frases com duas ou três palavras…não há disponibilidade para trocar duas ou três palavras no Messenger, quando está sempre on line… Portanto, a partir de hoje, e isto envolve outras pessoas que fizeram exactamente o mesmo (tirando a parte sentimental, porque esta já estava encaminhada)… eu desisto de procurar forçar uma coisa que não vale a pena. Porque quando as pessoas precisaram aqui da burra da Blossom Maria, e a Blossom Maria esteve sempre de perninha aberta para as ajudar no que fosse possível…havia tempo e vontade para encetar conversas e contactos. Agora…pelos vistos, já ninguém precisa da Blossom Maria. Por isso é que eu continuo sempre fiel às minhas poucas amizades, mas estas são das verdadeiras. Estão sempre lá quando eu preciso, especialmente a minha Estrelinha, que apesar de nos termos afastado porque vim trabalhar para o Porto e tenho muito pouco tempo disponível, continua de pedra e cal no meu coração e sei que é recíproco. Independentemente da hora, quando eu preciso ela está lá para me ouvir…e sem exigir nada em troca.
Eu exijo que me dêem o mesmo que eu dou…amizade sem segundas intenções. Amizade pura que não acaba quando a vida se endireita e ficam melhor do que nós. Amiga? Não me parece! Os amigos são para as ocasiões…mesmo que nada tenha acontecido de especial. Mesmo que estejam atolados de trabalho até à ponta dos cabelos, quando se quer, arranja-se sempre um minuto para se dizer um olá e para se perguntar como estás...

Estou desiludida com tudo e todos, especialmente com duas pessoas que tinha em exagerada conta…É a vida, Blossom Maria, vê se aprendes, que já vais a caminho dos 31, já não deves ser tão ingénua a ponto de te dares incondicionalmente e acabares a sofrer por quem não merece.

Desculpem o desabafo…mas hoje sinto-me assim…desiludida!!!

Um bom dia para todos!


P.S. ah, é verdade...ontem também bati com o meu carro...Foda-se!

12 comentários:

Andreia do Flautim disse...
terça-feira, abril 22, 2008 12:15:00 da tarde

Ah, por isso é que ontem não actualizaste aqui o estaminé!

Olha, sem bem o que isso é! mim já me aconteceu o mesmo, mas a essas pessoas agora faço como me fazem a mim, não adianta virem cá outra vez que eu não caio na mesma com a mesma pessoa!

anovska disse...
terça-feira, abril 22, 2008 2:02:00 da tarde

Oh fofa mai linda...
prontes, pá não tenho o mínimo jeitinho para dizer coisas que é suposto dizer-se nesta altura, e como sei bem o que é a desilusão motivada por outros, abai daqui de baixo um kiss gigante para tu.

Ficou muito amolgada a lata?

p.s.- e porque isto não é assim, quando é que V. Exa. se digna a combinar um almoçar com a je? Isto porque podemos não ter muitos assuntos em comum quando estamos no pc, mas óh pra mim que te bou amandar 2 beijufas nessa cara.

E é faxabôr dir ver a minha posta de hoje que a musiquinha alegra :)

Cati disse...
terça-feira, abril 22, 2008 2:06:00 da tarde

Recebe um enorme beijo desta VERDADEIRA e-friend... e um miminho especial, porque estás precisada, já reparei. Ainda bem que não te magoaste, chapa há muita e Blossom Maria só uma.

You can count on me if you want to. Estou longe mas... o longe se faz perto quando é preciso.

Uma beijoca (e obrigada pelos parabéns!)

Cati disse...
terça-feira, abril 22, 2008 2:07:00 da tarde

Ahhhhh!

E quanto aos pseudo-amigos... I KNOW WHAT YOU MEAN!!!

A desilusão não mata. Mas mói...

Outro beijo.

alguem disse...
terça-feira, abril 22, 2008 5:17:00 da tarde

Olha......ainda agora nasci e já sei disso :)

alguem disse...
terça-feira, abril 22, 2008 5:23:00 da tarde

Se tivesse a fralda suja dava-ta pra atirares a essa "amiga".....mas já troquei!

O raio da parteira fez-me cair ao chao!Imagina...bela entrada neste mundo!

Nao endureças o teu coração por caua disso, ainda há pessoas boas....tu és, nao???:)

Vai por mim! Sou pecanino mas sei o que digo........ehehehehehheeh

Sara disse...
terça-feira, abril 22, 2008 5:47:00 da tarde

Dá o que recebes. Nem mais nem menos. Assim nunca te sentirás injustiçada. Eu já comecei a fazer o mesmo. :)

Vício disse...
terça-feira, abril 22, 2008 11:01:00 da tarde

hoje desabafaste... amanhã podes abafar!

tens um tempito pra mim? como disseste que apanhas a dores dos outros... eu tou com um dorzita aqui... tás a ber? no tornozelo...;)

um pouco de egoismo da tua parte faz bem a essas pessoas, de certeza!

Blossom disse...
quarta-feira, abril 23, 2008 9:43:00 da manhã

Andreia,é! ontem meti o dia de férias, pelo que não vim trabalhar...e ainda me meti em despesas...rais parta! Obrigada pelas palavras!

Anovska, o S. Pedro anda a tramar-nos em grande. Quando vier, finalmente, o bom tempo, com solinho e calorzinho, a gente marca um almocinho. E falar no messenger nem sempre corre bem porque há sempre cenas a distrair-nos...no problem :)...Blossom Maria gosta mto da Anosvka Luizenka :D

Cati, babe. Por acaso foi só o farol eheheheh. Mas nada de sério. E a coisa anda tão preta aqui no emprego que nem sei se vamos ter ordenado...mas...cala-te boca! Obrigada pela e-amizade.
Beijinho grande

Alguém, ora aí está uma criança emancipada...deve ter sido da queda logo à nascença ahahahahah

Vicio, então era isso. Eu bem que senti umas dores no tornozelo ontem e não sabia porquê...eram as tuas dores. Podias era ter avisado porra! Andei a coxear sem saber :D

Blossom disse...
quarta-feira, abril 23, 2008 9:44:00 da manhã

Sara...eu tento fazer isso, mas sou um coração mole e acho sempre que as pessoas merecem uma segunda oportunidade...mim ser duh!!! Mim aprende...ah se aprende!

eden disse...
quarta-feira, abril 23, 2008 12:29:00 da tarde

O problema das " amizades" é esperarmos que façam a nós o que fazemos por eles... Amigos? Poucos ou nenhuns... Conhecidos? Bastantes...
Já bati várias vezes com a cabeça até que aprendi.
Lembra-te sempre que quando estás mal, os que estão bem , estão-se nas tintas. Mas a vida é uma bola de pingue pongue. hoje és tu a estar mal, amanhã nunca se sabe se não é um " amigo" que ontem estava maravilhosamente de bem com a vida...

Blossom disse...
quarta-feira, abril 23, 2008 2:07:00 da tarde

Eden, parece que me conheces e sabes exactamente o que sinto quando escrevi o texto. Acredito ser verdade o que dizes...mas por vezes duvido de mim própria se serei capaz de voltar costas se essas pessoas me vierem pedir ajuda, como sempre. É este o meu ponto fraco! No entanto, espero que nada de mal lhes aconteça...só não esperava que a minha amizade fosse por conveniência, é sempre uma fixória a Blossom Maria até vir alguém mais curtido e pronto...acaba-se o contacto. Eu, pela parte que me toca, não vou voltar a forçar...tenho dito!

Beijinho para ti

eXTReMe Tracker